Nova Unidade Da Escola Paula Souza Ganha Painéis Artísticos

Para abrigar a nova unidade da ETEC – Escola Técnica Estadual Aviador Gustavo Klug -, da Escola Paula Souza, as antigas instalações da EE General Asdrúbal da Cunha passaram por uma substancial reforma para receber, a partir de 2015, o curso técnico de Mecatrônica, entre outros.

Por iniciativa da prefeitura de Pirassununga, por meio das secretarias de Educação e Planejamento e Desenvolvimento Econômico, o espaço externo daquela unidade terá painéis artísticos destacando obras de grandes pintores brasileiros.

Segundo a secretária Débora Raquel Rosin Delphino de Moraes Leme, do Planejamento e Desenvolvimento Econômico, ao todo serão 6 painéis totalizando 30 obras, aproximadamente.

Quem passa pela rua Antonio Magnani não resiste e acaba parando para saber o que está acontecendo e apreciar a execução dos trabalhos pelos artistas Gilmar Bezerra e Paulo Cesar Bertazzi, ambos servidores da Secretaria de Obras e Serviços.

Neste primeiro painel, um dos destaques é a obra “Abaporu”, da artista Tarsila do Amaral (veja texto ao lado sobre a obra). Além dela, outros nomes consagrados, como Di Cavalcanti e Cândido Portinari também foram escolhidos para compor os painéis que vão embelezar e enriquecer a parte externa da antiga EE General Asdrúbal da Cunha.

“A vizinhança aprovou”, conta Gilmar Bezerra. “Todos que por aqui passam comentam e elogiam a iniciativa da prefeitura”, completa o artista. Não existe uma data definida para a conclusão dos painéis.

Segundo a prefeita Cristina Aparecida Batista e o secretário Kleber Gabriel, de Cultura e Turismo, outros espaços públicos também serão contemplados com obras de arte. “Em breve, estaremos disponibilizando outros locais para que os nossos artistas possam expressar a sua arte”, disse a prefeita.

ABAPORU, O HOMEM QUE COME GENTE

“Abaporu” é uma clássica pintura do modernismo brasileiro, da artista Tarsila do Amaral. O nome da obra é de origem tupi-guarani que significa “homem que come gente” (canibal ou antropófago), uma junção dos termos aba (homem), pora (gente) e ú (comer).

A tela foi pintada por Tarsila em 1928 e oferecida ao seu marido, o escritor Oswald de Andrade. Os elementos que constam da tela, especialmente a inusitada figura, despertaram em Oswald a ideia de criação do Movimento Antropofágico.

O Movimento Antropofágico consistia na deglutição da cultura estrangeira, incorporando-a na realidade brasileira para dar origem a uma nova cultura transformada, moderna e representativa da nossa cultura.

O quadro “Abaporu’ foi vendido em 1995 para o argentino Eduardo Constantini por US$ 1,5 milhões de dólares. Ele está exposto no MALBA – Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires.

Por Roberto Bragagnollo

Deixe uma resposta