O barulho dos peixes deu nome ao nosso município

No passado, a região de Pirassununga foi habitada pelos índios Tupis-Guaranis. Segundo o historiador Manuel Pereira de Godoy, essa ocupação durou mais de 250 anos. Das cinco aldeias que existiam no município, quatro delas ficavam em Cachoeira de Emas, duas de cada lado do rio.

O Tupi-Guarani marcava cada lugar ou região por alguma manifestação da natureza que se distinguia dos demais. Muitas das denominações advindas dessa cultura foram adotadas pela civilização e permanecem até os dias atuais: nomes de rios, cidades, cachoeiras, montanhas, voçorocas, etecetera e tal.

Não vamos longe. Pirassununga e o rio Mogi-Guaçu são alguns desses exemplos. Ao local aonde chegaram – a região de Cachoeira de Emas – os índios deram o nome de “pira-cynun’ga”, que significa “lugar onde o peixe ronca, faz barulho, rumoreja”, numa possível alusão aos curimbatás machos que, no período da piracema, emitem um ronco para atrair as fêmeas, exibido pela primeira vez na televisão brasileira no documentário “O Canto da Piracema” da EPTV, em 1992.

O rio Mogi-Guaçu eles chamaram de “mboya guaçu y”, o “grande rio que serpenteia”, provavelmente, pela formação de seu traçado, com majestosas curvas e meandros.

Os Tupis-Guaranis nos deixaram um rico legado. Lendas, religião, habitação, pesca, agricultura, vestuário, ornamentação, objetos de pedra e cerâmica marcaram a presença desses primeiros humanos que aqui chegaram por volta de 1625 e aqui permaneceram até 1.880, aproximadamente. O quinto aldeamento ficava às margens do rio Jaguari Mirim, neste município.

SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS – Em áreas pertencentes à Academia da Força Aérea, na região da Fazenda da Aeronáutica, e ao CEPTA – Centro Especializado do Instituto Chico Mendes da Conservação de Biodiversidade – ICMBIO encontram-se quase intactos dois importantes sítios arqueológicos, que precisam ser mapeados e abertos a visitação pública.

Em recente levantamento, quando da construção da nova ponte sobre o rio Mogi-Guaçu, quando os arqueólogos aqui estiveram para avaliar o impacto daquela obra no meio ambiente, encontraram vestígios que levam a crer que outras etnias também habitaram o local.

tupi

Tagged on:

Deixe uma resposta